quarta-feira, 11 de maio de 2016

A Magia da Chuva

A chuva assume a batuta e conduz a orquestra musical.
Para quem sabe escutar, a sinfonia poderá ser mágica de verdade. Para quem está com pressa e perdido entre afazeres, não passa de inoportuna água que molha e atrasa.

Mau programa este, chuva nas férias?
Nem por isso!
Temos que ver pelo prisma certo:
mais momentos junto daquele(s) com quem estamos;
chá/café/chocolate quente, para acompanhar o livro ou o filme;
dar uma volta pela cidade sobre um guarda-chuva, agarradinhos, e a fugir agilmente das poças da calçada portuguesa;
comer chocolate delicioso com a mantinha felpuda sobre os pés descalços;
não ter horários, aliás, com a chuva ficamos com uma perceção lentificada do relógio (magia!)...
 
Ora, muito mais há para descrever, imaginar e aprontar :)
 
A felicidade não pode ser limitada pelas condições que a rodeiam, depende somente das pessoas. A felicidade, pode ser apenas a forma positiva como vivenciamos e interpretamos o que nos acontece.
 
Esqueçam o azar, o mau tempo, a falta de sorte na escolha dos dias....
 
Isso é bluff!

Todos os dias são ótimos, ora presta atenção!
(Não sabes como? Fácil: olha à volta e aproveita o que vês e ouves.)

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

2016 já chegou!

Mais um ano se iniciou!
 
52 semanas
366 dias
8784 horas
527040 minutos
 
Parece muito, mas passa rapidamente. Tão rápido, que ainda nos questionamos como é que 2015 já expirou a sua data de validade.
Olhando novamente para os números acima, são inúmeras as possibilidades de realizarmos sonhos, esperanças e lutarmos um pouco mais por nós mesmos e pelo bem dos outros. Talvez devêssemos colocar o bem do próximo num dos nossos tópicos de ano novo.

"Conseguirás tudo o que queres na vida se ajudares o suficiente outras pessoas a conseguirem também o que querem." Zig Ziglar

Dá que pensar, mas sabemos no fundo que é a pura verdade. A felicidade individual multiplica-se exponencialmente com a felicidade dos que nos rodeiam.

Bom Ano Mundo!!!


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

História sobre pedras...

 
Em busca da felicidade, rumamos muitas vezes a lugares perdidos e encantados. Restam pedras...que apesar dos ventos e sóis ardentes se mantém em equilíbrio, com imponente orgulho em direção ao céu.
Quantos homens, quanto suor árduo de trabalho, quantas estações e brincadeiras de crianças, testemunharam eles...
 
No alto da serra, persistem a tudo, tal como os seus habitantes. Que não se importam com as rugas acumuladas nos seus rostos cansados, de onde é difícil arrancar um sorriso oferecido aos forasteiros. Esses homens e mulheres que andam e arrastam em si o pesar da humildade e pobreza, mas que rejubilam de paz e despreocupada existência, com os seus afazeres intemporais, sem stress nem relatórios a entregar pontualmente.
 
Aqui, simplesmente somos. Existimos. Sentimos a pequenez da nossa existência, ao olhar a serra, vales e montes gigantes.
Arriscando a vida, ao poder calcar um dejeto de veado ou javali selvagem, ou de ser atingido por um pedregulho que se cansou de estar estagnado por séculos no mesmo sítio e decide emigrar encosta abaixo.
 
É bom...sentir apenas. Olhar e quase ficar sem fôlego, sendo quase engolidos pela beleza da paisagem.
 
Brufe! Assim é o nome da aldeia perdida, mas encontrada por muitos.
Beleza natural made in Portugal :)

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Ao fundo do túnel...

Quando a vida acontece, acontecem múltiplas coisas que fogem ao nosso controlo. Coisas boas, outras com défice de simpatia, situações complexas e outras magicamente simples.
O nosso estado de espírito fica como a criança que salta à corda: ora por cima, ora por baixo da situação. O importante é saber que a corda não pára, que roda incessantemente como um mandala de oportunidades para voltar a saltar, pular, rir e chorar.
Talvez sejamos pequeninos, ou então é a vida que passa a correr, e, não nos apercebemos da velocidade dos segundos. Não podemos é esquecer do quão fugaz a vida é, da sua maratona intemporal, da importância que cada segundo tem para mim e para todo o universo.
 
No final, o que resta?
História? Corremos o risco de ratos roerem as folhas que a contam, ou um qualquer cataclismo eliminar as pistas do que alguma vez foi...
Família? Se as nossas histórias e estórias forem deveras boas e interessantes, poderão ainda servir de contos de "Há muito tempo atrás, os avós dos avós do pai, fizeram...disseram..." As crianças vão ouvir, mas com o sono, o cansaço, ou simplesmente porque sim, serão esquecidas as aventuras outrora vividas. Seremos como pó que se limpa na árvore genealógica, que cresce com novos frutos, e onde se podam os ramos secos e velhos...
 
Acho que poderia continuar com tópicos infindáveis, porque não seremos eternos. Só Deus o é, e só Nele podemos alcançar essa plenitude. Mas não creio ser pelos feitos alcançados aquando da nossa passagem terrestre. Acredito que a chave é termos um espírito e coração puros, cheios de amor e de bem.
 
Sermos o exemplo a seguir, como Alguém o foi para nós. Esse testemunho que não morre, que prevalece vivo e enraizado.
 
 
Mesmo quando a vida nos parece demasiado escura e sombria, quando nos perdemos nas tentações e excentricidades mundanas, quando perdemos o direito de dividir o tempo que foi oferecido a fazer o que gostamos porque assim obriga a sociedade, e na pluralidade de tantos outros "ses" e "porquês"...
...abramos os olhos e procuremos a luz...
...ela está lá - sempre!
 
O túnel não é um poço, é apenas uma passagem. E o outro lado, por norma, é sempre melhor.
Isso depende muito da nossa vontade de admirar o esplendor que nos rodeia todos os dias.
 
Cada vez mais acredito, que moramos simplesmente numa entrada do túnel, à sombra da beleza!
:)

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Dia Mundial do Beijo *

Um dia inteirinho dedicado ao beijo...Já pensaram?
 
1 por dia * 1 beijo
2 por dia * 2 beijos
1 por cada refeição * 3/5/7 beijos depende da dieta (eheheh)
1 por hora * 24 beijos
1 de meia em meia hora * 48 beijos
 
* 1 hora tem 60 minutos * 1 minuto tem 60 segundos *

HHhhhhmmmmm

Aproveitem hoje para abusar um pouco... Hoje é o dia dos exageros (mas atenção - qb)

Mas não se esqueçam que temos os restantes dias da nossa vida, e como não sabemos quantos vamos ter efetivamente, o melhor é aproveitar.
Se pensar que não tem companheiro para um beijo de amor, terá amigos para dar amizade, conhecidos para partilhar os bons dias, e terá sempre o seu próprio corpo para se amar. Nunca experimentou? Já reparou como tem uns ombros bonitos para beijar? Ou que tal as suas mãos?
No mínimo atire uma beijoca ao seu reflexo nos nossos tantos espelhos que rodeiam o nosso quotidiano (em casa, nos wc públicos, nas montras, os carros...haja imaginação).
Qui çá atira um beijo a si, e o senhor cupido se encarrega de colocar a sua alma gémea no outro lado do vidro... Afinal ainda podemos colocar em prática o cerne da "Bela Adormecida", pois muitos só precisam de um simples beijo para renascer para a vida

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Cores da Vida

 
A magia das cores consegue transformar o curriqueiro em algo único.
O Maestro da Vida, ao criar o mundo presenteou-nos (até nos dias menos bons) com uma panóplia de jogos de luz que enchem a nossa vida de emoções.
Isto é uma realidade: entre cinzas e azuis, laranjas e amarelos - este bailado celeste é constante e mexe com a nossa mente e coração.
Não tinha notado?
Talvez seja a hora de colocar um novo olhar sobre o que o rodeia....Experimente!
Quem sabe, ainda vai descobrir qual a cor ou tintas que pintam a redoma que o envolve.
 
Foto de Pedro Pinho*

sábado, 27 de setembro de 2014

Fénix

Tudo muda: o tempo, a visão da vida, o acumular de dias na nossa existência...
Nós mudamos, e por vezes necessitamos parar no tempo e olhar para o que nos rodeia - mas principalmente para nós!
Olhar para dentro de nós, nem sempre é fácil. Estamos demasiado ocupados, sem tempo para isto e para aquilo...e acabamos por nos perder no meio de tarefas, agendas e protocolos sociais.
Ficam questões que de quando em vez nos picam o consciente (por vezes, calamos esse incómodo para não atrapalhar o que é suposto fazermos - o que esperam que a gente faça): quem somos nós? qual é o nosso propósito de vida? quais os objetivos que traçamos?


Por vezes temos que "morrer" para renascer de novo, para voltar a definir os caminhos que queremos bravar. Novas etapas se avizinham, e não há que temer pois a vida é assim mesmo: uma história com vários capítulos que vamos escrevendo ao som da música do coração.